REGULAMENTO

FF LIBERTADORES 2017/1

SEGUNDA DIVISÃO

 

INSCRIÇÃO


            - A Inscrição custará, por atleta, R$ 450,00 (quatrocentos e cinquenta reais) que poderão ser pagos em 6 parcelas de R$ 75,00 (setenta e cinco reais) cada com os seguintes vencimentos: 09/12, 25/01, 23/02, 23/03, 25/04 e 25/05. 

            - Cada time terá um Diretor de Futebol que ficará encarregado de arrecadar os valores (com exceção da primeira parcela) e tratar de assuntos pertinentes junto à COMISSÃO ORGANIZADORA.

 

 

REGULAMENTO

 

            Art. 1º - A FF LIBERTADORES - SEGUNDA DIVISÃO consistirá num campeonato com 6 (seis) equipes e dividido em 3 fases: PRIMEIRA FASE, FASE SEMIFINAL e FASE FINAL. Cada equipe será formada mediante sorteio prévio organizado pela COMISSÃO ORGANIZADORA. O sorteio obedecerá um sistema de nivelamento por potes;

            Art. 2º - Os 6 (seis) clubes jogarão a PRIMEIRA FASE em TURNO e RETURNO. Os 4 (quatro) melhores, avançarão à FASE SEMIFINAL.

            Art. 3º - os 4 (quatro) clubes classificados jogarão a FASE SEMIFINAL em sistema eliminatório. O primeiro colocado contra o quarto colocado e o segundo colocado contra o terceiro colocado. Os times disputarão vagas às finais em dois jogos. Estarão classificados os clubes vencedores na soma dos dois placares. Será concedida vantagem do empate caso algum dos times possua, no geral, mais PONTO(S) que o outro. Caso empatem o confronto e também estejam empatados em pontos no geral, a vaga será definida em DISPUTA DE PÊNALTIS.

            Art. 4º - Os dois clubes vencedores na FASE SEMIFINAL, além de ascenderem à PRIMEIRA DIVISÃO, disputarão o TÍTULO. A disputa será em JOGO ÚNICO e sem vantagem pra nenhum dos lados. Caso empatem, teremos DISPUTA DE PÊNALTIS.

            Art. 5º - Em todas as disputas por pênaltis, realizar-se-ão uma série de 3 (três) penais para cada equipe. Em caso de empate na série, cobranças alternadas serão realizadas até que se descubra o vencedor.

            Art. 6º - Nas disputas de pênaltis, se uma equipe tem mais atletas em condições de jogo do que a outra, esta deverá reduzir o seu número para equiparar-se ao seu adversário. Após o início das cobranças, não mais se aplica tal situação, mesmo em caso de expulsão ou contusão.

            Art. 7º - Os tentos marcados nos desempates por pênaltis não são computados para a artilharia final.

            Art. 8º - Cada equipe será composta por 8 (oito) jogadores de linha e 1 (um) goleiro;

            Art. 9º - As equipes deverão estar 15 (quinze) minutos antes do início dos jogos preparadas para entrar em campo. Recomenda-se que a equipe completa chegue com, no mínimo, 30 (trinta) minutos de antecedência. Não há tolerância para atrasos. As partidas NÃO ATRASARÃO em virtude de atraso de atletas.

            Art. 10º - Os jogos terão 2 (dois) tempos de 20 (vinte) minutos cada e um intervalo entre eles de, no máximo, 5 (cinco) minutos.

            Art. 11º - Será concedido às equipes participantes disputantes, objetivando dar instruções aos atletas, o direito de solicitar o pedido máximo de 2 (dois) tempos, um em cada período da partida, sendo de 1 (um) minuto a duração de cada tempo solicitado, respeitando-se os seguintes princípios:

                                   a) Os técnicos ou treinadores das equipes deverão solicitar o tempo ao cronometrista e na ausência ou falta deste solicitarão ao anotador;

                                   b) Os capitães das equipes deverão solicitar o tempo técnico a um dos árbitros;

                                   c) Se uma equipe não solicitar tempo técnico no primeiro período da partida não poderá acumular para usá-lo no segundo período;

            Art. 12º - Os jogos serão realizados no FERNANDO FRANÇA CAMPO SOCIETY;

            Art. 13º - Os árbitros poderão aplicar o cartão amarelo e/ou vermelho nos intervalos dos jogos ou antes ou após o término dos jogos para os atletas e/ou membros de Comissão Técnica de qualquer equipe inscrita no campeonato enquanto estiverem no complexo FERNANDO FRANÇA CAMPO SOCIETY ou em seus arredores, devendo constar em seus relatórios as ocorrências. Atletas expulsos ou suspensos NÃO PODERÃO exercer nenhum tipo de influência sobre a partida, esteja o atleta aonde estiver.

            Art. 14º - Os clubes “mandantes” (os que ficam à esquerda nas tabelas de jogos) escolherão seu uniforme de jogo. Caso ambos uniformes do adversário sejam considerados conflitantes pela arbitragem e/ou Comissão Organizadora, poderá ser solicitada a troca do uniforme do mandante. É obrigatório que todos os atletas de todos os clubes levem seus dois uniformes completos. É OBRIGATÓRIO para o clube estar de posse do seu uniforme de goleiro reserva no banco de reservas para eventuais necessidades. Caso o clube não esteja de posse do seu uniforme reserva de goleiro ANTES DA PARTIDA, o clube será penalizado com duas faltas coletivas (uma em cada tempo, logo que se iniciem os mesmos) além de um cartão amarelo para o seu Diretor (caso o seu diretor esteja inapto pra jogo, o cartão amarelo irá para o capitão). É OBRIGATÓRIO ao capitão o uso da faixa que o discrimina durante todo o jogo.

            Art. 15º - Ficam estabelecidos os seguintes cartões disciplinares e suas penalidades:

a)                   CARTÃO AMARELO – O atleta é advertido e deve deixar o campo de jogo pela zona de substituição, podendo ser substituído imediatamente. O atleta punido permanecerá no banco de reservas, podendo retornar APENAS após 02 minutos cronometrados de bola em jogo, quando for informado e receber autorização do árbitro. Sofrer ou fazer gol não influencia na penalização.

b)                    CARTÃO VERMELHO - O atleta é expulso e deve deixar o campo pela zona de substituição e não pode permanecer no banco de reservas. APENAS após 02 minutos cronometrados de bola em jogo, quando informada pela arbitragem, a equipe poderá recompor seu quadro de atletas em campo através de um substituto qualificado. Sofrer ou fazer gol não influencia na penalização.

            Art. 16º - Os atletas que cometerem 04 (quatro) infrações individuais serão desqualificados, devendo deixar o campo pela zona de substituição, podendo ser substituído imediatamente. A desqualificação não obriga que o atleta saia de campo e nem suspende automaticamente.

Art. 17º - As equipes que cometerem 05 (cinco) infrações por período sofrerá um pênalti a cada infração posterior, sendo estas zeradas ao final do período. O pênalti deverá ser executado pelo atleta que sofreu a falta (com exceção de marcação de pênalti direto e independente do número de infrações). Caso o atleta que sofreu a falta encontre-se inapto para bater o pênalti por motivo de lesão, o atleta substituto ficará encarregado da cobrança. Porém, após a execução do pênalti, o atleta que alegou inaptidão deverá ficar 2 (dois) minutos fora de jogo.

            Art. 18º - O atleta que, em determinada partida, for punido com o cartão vermelho, estará, automaticamente, suspenso da sua partida subseqüente. Todavia, assim como em qualquer outro comportamento, tenha sido ele punido com cartão vermelho e/ou amarelo ou não, o atleta estará passível de julgamento por parte da comissão organizadora, podendo ser punido com um ou mais jogos de suspensão. O atleta que, em partidas diferentes, for punido com 3 (três) cartões amarelos, estará automaticamente suspenso da partida subsequente;

            Art. 19º - Quando um atleta praticar uma infração e os árbitros aplicarem a Lei da Vantagem, após a conclusão da jogada mandará marcar uma falta coletiva, além da falta individual.

            Art. 20º - Não será contada a infração individual para exclusão do atleta pelo número de faltas.

            Art. 21º - Casos de indisciplinas, atitudes anti-desportivas e comportamentos agressivos e/ou não condizentes com os propósitos da FF LIBERTADORES serão julgados pelo STFF. O STFF será composto pelos 16 (dezesseis) diretores de clube mais os membros da COMISSÃO ORGANIZADORA.

            Art. 22º - O número mínimo permitido para início e continuidade das partidas será de 3 (três) jogadores de linha e 1 (um) goleiro;

            Art. 23º - A lista de suplência ficará à disposição da COMISSÃO ORGANIZADORA para casos em quem a mesma julgue necessário o advento de algum dos atletas relacionados;

            Art. 24º - Nos casos de W.O., o placar será registrado em 3x0 contra a equipe faltante ou o maior placar conquistado pela equipe vitoriosa até a data ou o maior placar sofrido pela equipe faltante até a data, prevalecendo a maior diferença de gols dentre as três opções. Todavia, o placar será sempre o saldo da opção aplicada contra zero. Além da punição esportiva, a equipe faltante deverá arcar com uma multa no valor de R$ 450,00 (quatrocentos e cinquenta reais). Caso seja apurado que o W.O. tenha sido proposital para benefício próprio ou de outrem, os atletas serão julgados de forma independente, correndo o risco de exclusão da FF LIBERTADORES por prazo indeterminado;

            Art. 25º - Apenas serão permitidos na FF LIBERTADORES atletas calçados com tênis ou chuteiras society. Fica vetada a utilização de chuteiras de travas. Os uniformes (camisas, calções, meiões etc) e todo equipamento esportivo (chuteiras, tênis, caneleiras, tornozeleiras etc) utilizados pelas equipes precisarão passar por aprovação prévia da Comissão Organizadora.

            Art. 26º - Em casos de empate na classificação final, servirá como critério de desempate, nessa ordem: maior número de vitórias, maior saldo de gols, maior número de gols pró, confronto direto, menor número de cartões vermelhos, menor número de cartões amarelos, menor número de faltas, sorteio.

            Art. 27º - Todos os atletas deverão jogar devidamente uniformizados, conforme os padrões instituídos pelo campeonato, inclusive com MEIÕES LEVANTADOS. O atleta que insistir no contrário, será púnico com cartão amarelo e, posteriormente, vermelho.

            Art. 28º - Em caso de ausências frequentes ou comportamentos inadequados, a equipe, através do seu Diretor de Futebol, poderá solicitar à COMISSÃO ORGANIZADORA que o atleta em questão seja substituído por algum outro que esteja qualificado na lista de suplência. Caberá à COMISSÃO ORGANIZADORA julgar a procedência das reclamações;

            Art. 29º - Os atletas que se mostrarem contrários às regras contidas no regulamento da FF LIBERTADORES poderão ser excluídos do quadro de participantes do campeonato;

            Art. 30º - O Diretor de Futebol de cada equipe será sugerido pela COMISSÃO ORGANIZADORA. Outro atleta poderá ser indicado pela própria equipe, desde que haja o consentimento da COMISSÃO ORGANIZADORA;

            Art. 31º - Numa cobrança de lateral, o atleta pode recuar diretamente para o goleiro. O goleiro, quando recebendo a cobrança em sua área, tem a faculdade de usar os pés ou as mãos, mas deverá obedecer o limite máximo de posse de bola. Caso o goleiro receba a cobrança fora da área, será tratado como jogador de linha e não poderá, em hipótese alguma, pegar a bola com as mãos.

            Art. 32º - As regras do Futebol Society podem ser encontradas no site http://www.soccersociety.com.br/regras-oficiais/. Recomendamos a todos a leitura das mesmas para que possíveis dúvidas sejam previamente solucionadas.

            Art. 33º - Nos casos de contradição e/ou conflito das regras oficiais do Futebol Society e as regras contidas neste regulamento, prevalecerá o contido neste.

            Art. 34º - Casos omissos serão dirimidos pela comissão organizadora.

 

 

REGULAMENTO DISIPLINAR

 

 

            Art. 1° - Será formado, semestralmente, o STFF (Supremo Tribunal da FF Libertadores). O STFF consiste num tribunal com competência para processar e julgar os casos disciplinares previstos neste regulamento, bem como decidir critérios disciplinares que eventualmente não se encontrem neste regulamento.

            Art. 2° - O STFF será formado pelos 16 (dezesseis) Diretores de Futebol de todas as equipes participantes, além de todos os membros da Comissão Organizadora.

            Art. 3° - A Comissão Organizadora elegerá um Presidente e 3 suplentes para o cargo. O Presidente terá como incumbência:

  1. Presidir as sessões de julgamento;
  2. Receber a denúncia e escolher se acumulará as funções ou se designará alguém para tal;
  3. Tornar pública a decisão proferida pela maioria dos membros do STFF;
  4. Proferir voto de minerva, quando necessário;
  5. Defender a honra e a dignidade do STFF e dos seus membros.

Art. 4° - Os demais membros do STFF serão nomeados AUDITORES. Quando o julgamento tratar de algum atleta de sua equipe, ficará o auditor alijado do seu direito de voto e manifesto. Outros auditores poderão também ser alijados desses direitos caso a Comissão Organizadora credite interesse direto no caso.

Art. 5° - Será criado um grupo num aplicativo de mensagens online denominado “STFF LIBERTADORES”. Salvo convocações extraordinárias, as sessões de julgamento serão através desse grupo e obedecerá os seguintes ritos:

  1. O Presidente adicionará ao grupo o(s) envolvido(s) que já não estejam presentes;
  2. O Presidente abrirá a sessão anunciando o Relator para que o mesmo prossiga expondo a Denúncia, os supostos fatos e os envolvidos;
  3. O Presidente cederá espaço para que acusado, através de áudio, vídeo foto ou texto, realize sua defesa de forma pessoal e informal. Logo após, caso não seja um auditor, será retirado do grupo;
  4. O Relator promoverá relatório e voto;
  5. O Presidente anunciará se os votos serão abertos, fechados e com ou sem possibilidade de dois turnos;
  6. O Presidente abre a captação de votos;
  7. Captado os votos, o Presidente anunciará a decisão, encerrará a sessão e publicará o anunciado.

Art. 6° - Não cabe recurso à decisão proferida pelo STFF.

 

 

SOLICITAÇÃO DE SUPLÊNCIA

 

            Art. 1º - As solicitações de suplência deverão ser feitas apenas por e-mail e apenas pelo Diretor de Futebol do Clube. Na Primeira fase, o diretor só poderá solicitar suplência após ausência de 2 (dois) jogos completos do atleta ausente, seja por qualquer motivo. Suplências que não obedeçam essa regra serão ignoradas.

                       Parágrafo Único: O goleiro é o único atleta que não precisa esperar 1 (um) jogo para que a suplência seja solicitada.

            Art. 2º - A Comissão Organizadora resolverá se a solicitação será acatada. As solicitações só serão consideradas para a rodada da semana se enviadas até as 19h00 da terça-feira anterior à rodada.

                       Parágrafo Único: Nos casos de suplência de goleiros, a solicitação poderá ser enviada até às 19h00 do dia anterior ao da rodada.

            Art. 3º - O período MÍNIMO exigido para ausência do solicitante é de 1 (um) mês do calendário gregoriano (exemplo: solicitando a suplência no dia 10, o atleta só poderá retornar no dia 11 do mês subsequente).

                       Parágrafo único - Caso a suplência seja para GOLEIRO, o período mínimo será de 2 (dois) jogos.

            Art. 4º - Sendo acatada, a suplência só será realizada se os seguintes pré-requisitos forem confirmados:

a)     O time INTEIRO deverá estar adimplente;

b)    O atleta solicitante deverá quitar a sua ÚLTIMA parcela do campeonato;

c)     O atleta suplente deverá quitar a sua próxima parcela do campeonato.

Art. 5º - Durante o período em que o suplente esteja jogando, tanto o suplente quanto o atleta ausente deverão pagar as suas parcelas de forma integral.

Art. 6º - Nenhum clube poderá ter mais do que 2 (dois) suplentes temporários de linha de forma concomitante.

Art. 7º - Caso o clube necessite de uma suplência extraordinária, será cobrada uma taxa de R$ 75,00 (setenta e cinco reais) por cada atleta suplente.

Art. - A suplência extraordinária poderá ser solicitada até às 19h00 do dia anterior à rodada. Com 4 (quatro) atletas faltantes, poderá solicitar 1 (um) suplente; com 5 (cinco) atletas faltantes, poderá solicitar 2 (dois) suplentes); com 6 (seis) ou mais atletas faltantes, poderá solicitar 3 (três) suplentes.


 

 

 

TIMES PARTICIPANTES

 

 

 

 

 

 

 

FF CHAPECOENSE

 

FF  INDEPENDIENTE

 

FF LDU

 

FF PEÑAROL

 

FF SAN LORENZO

 

FF SPORTING CRISTAL

Clubes FF Libertadores - Primeira Divisão - 2019/2

Topo